Fase de transição é prorrogada até o dia 23 de Maio

O horário estendido das 6h às 21h vale a partir deste sábado (8) para estabelecimentos comerciais, galerias e shoppings.

por: Alan Germano ( 5 meses atrás ) - Atualizado: 09/05/2021 13:10

Governo do Estado de São Paulo prorroga a fase de transição do Plano São Paulo por mais duas semanas, até o próximo dia 23 de maio, com isso o comércio e serviços ganham mais uma hora de funcionamento. Toque de recolher segue, mas agora das 21h às 5h. Ocupação nos estabelecimentos passa a ser de 30%

O Prefeito de Campos do Jordão Marcelo Padovan, edita o decreto do governo. Medida leva em conta a redução gradual de indicadores de casos, internações e mortes por COVID-19. Isso permitiu a extensão de mais uma hora no expediente de atendimento presencial, das 6h às 21h, e com limitação de 30% de capacidade em comércios e serviços não essenciais.

O horário estendido das 6h às 21h vale a partir deste sábado (8) para estabelecimentos comerciais, galerias e shoppings. O mesmo expediente poderá ser seguido por serviços como restaurantes e similares, salões de beleza, barbearias, academias, clubes e espaços culturais como cinemas, teatros e museus.

A fase de transição mantém liberadas as celebrações individuais e coletivas em igrejas, templos e espaços religiosos, desde que seguidos rigorosamente todos os protocolos de higiene e distanciamento social. Parques estaduais e municipais também poderão ficar abertos, mas com horário das 6h às 18h.

Para evitar aglomerações, a capacidade máxima de ocupação nos estabelecimentos liberados prossegue limitada, mas com ligeiro acréscimo de 25% para 30%.

O toque de recolher continua nas 645 cidades do estado, agora das 21h às 5h, assim como a recomendação de teletrabalho para atividades administrativas não essenciais e escalonamento de horários para entrada e saída de trabalhadores do comércio, serviços e indústrias.

Nesta sexta, a taxa de ocupação de UTIs por pacientes graves com COVID-19 está em 78,3% no estado. Em Taubaté, principal referência para Campos do Jordão, a taxa de ocupação de leitos de UTI passou de 87% para 80%.