Um pouco da história da Concha Acústica da Vila Capivari em Campos do Jordão

foi autorizada a transferência da Concha Acústica, localizada na Praça do Capivari, para o interior do Parque Capivari

por: Maurício de Souza Lino ( 8 meses atrás ) - Atualizado: 11/02/2022 17:28

Durante a administração municipal do prefeito Miguel Lopes Pina – 01 de janeiro de 1963 a 31 de dezembro de 1966, foram construídas duas fontes luminosas sonoras: uma na Praça da Bandeira no Jardim da Vila Abernéssia e outra na Praça São Benedito no Jardim da Vila Capivari.

A Fonte Luminosa da Praça São Benedito em Vila Capivari, também chamada Fonte da Alcachofra, devido à sua forma bastante semelhante à dessa planta, foi inaugurada em 29 de abril de 1965, e tinha o formato de alcachofra, flor de vitória régia ou nenúfar. Utilizada por alguns anos, com o mesmo sucesso da outra de Vila Abernéssia. Dispendeu da DMTUR e prefeitura, 16 milhões de cruzeiros (esta verba do turismo, foi uma oferta dos seus rendimentos).

A fonte de Vila Capivari foi desativada e demolida em meados da década de 1980, para dar lugar à Concha Acústica utilizada para shows diversos e, especialmente, durante algumas apresentações do Festival de Inverno de Campos do Jordão.

Montada para receber apresentações artísticas nos festivais de inverno da cidade de Campos do Jordão, em São Paulo, o projeto arquitetônico foi feito pelo arquiteto Dr. Pedro Taddei Neto.

O arquiteto Pedro Taddei Neto é formado pela Universidade de São Paulo em 1967. Possui mestrado em meio ambiente – Institut de L’ Environnement (1971) e doutorado em estudos urbanos – Université de Paris – Panthéon – Sorbonne (1983).

Vem há mais de 40 anos, atuando nas áreas do planejamento, da elaboração de projetos e de seu gerenciamento, no Brasil e no exterior. Foi vice-presidente da Nossa Caixa, presidente da Emplasa e do IAB.

Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Planejamento e Projeto do Espaço Urbano, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimônio histórico, turismo cultural, desenvolvimento urbano, projeto arquitetônico, planejamento urbano e implementação de projetos sustentáveis.

O engenheiro Isamu Nawa, da Tópico (galpões, armazenamentos e coberturas), foi o responsável pela elaboração do projeto técnico, cabendo ao fabricante executar a estrutura.
A concha cobre uma área livre de vinte por trinta metros, sendo a parte dos fundos fechada e as laterais abertas. Um fino cabo de aço foi usado na parte frontal para evitar o efeito alavanca que os ventos da região poderiam causar. Como sugere o nome, a estrutura tem o formato e as ondulações comuns às conchas do mar.

A concha acústica levou o nome de MOZART CAMARGO GUARNIERI (Tietê, SP, 1907-São Paulo, 1993), em homenagem ao maestro.

É um dos palcos do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Fica na Praça Benedito Calixto, mais conhecida por Praça São Benedito. É o espaço mais democrático do Festival.

O ex-governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou convênio com a Prefeitura de Campos do Jordão em 28 de setembro de 2013, que estabelece a cessão de uso do Morro do Elefante para a Estrada de Ferro Campos do Jordão.

Concha acústica de Vila Capivari sendo desmontada

Também foi autorizada a transferência da Concha Acústica, localizada na Praça do Capivari, para o interior do Parque. Medidas estas que beneficiam os habitantes e os turistas da Estância Turística de Campos do Jordão, além de preservar o patrimônio cultural da Estrada de Ferro, que completa 108 anos este ano.

Fontes de Pesquisa:
Governo do Estado de São Paulo
Historiador: Maurício de Souza Lino