Não importa o destino, viaje em 2023!

Agora, uma provocação: quais serão os sinais para mostrar que está na hora de viajar?

por: Redação ( 1 ano atrás ) - Atualizado: 09/06/2023 19:34
Tempo de Leitura: 2 minutos

O ser humano está, recorrentemente, recebendo sinais. Seja do corpo, quando emite, por exemplo, aquela sensação de estômago oco, com direito até a um ronco indiscreto, para avisar que está com fome; seja do coração, quando eventualmente começa a bater com mais força ao rever alguém, avisando que ainda existe uma fagulha acesa.

Agora, uma provocação: quais serão os sinais para mostrar que está na hora de viajar? Sim, porque eles também existem, ah, se existem! E variam, conforme o receptor. Há casos em que o sinal surge em forma de uma irritabilidade recorrente; outros em que se manifesta por meio de um suspiro lento e sofrido a cada foto ou texto sobre destinos turísticos que aparece diante dos olhos; outros, ainda, que atendem pelo nome de “crise conjugal”. Esse sinal é ótimo, porque acende uma luz de alerta não só em uma, mas em duas pessoas. O esforço para resolver o problema é potencializado e, consequentemente, as chances de solução aumentam.

O certo é que, não importa como os sinais da necessidade iminente de viajar se manifestam, mas sim a urgência de resolver o problema. Afinal, protelar pra quê?

Ah, mas o trabalho não permite neste momento… Ah, mas não tenho condições financeiras agora… Ah, estou estudando para o concurso… E as desculpas são infindáveis.

Mas quem está falando de viagens longas, caras, complicadas? Viagem é viagem, não importa o destino, a quantidade de dias ou os hotéis escolhidos. Dois dias à beira de um rio, debaixo de uma barraca de lona podem ser mais divertidos e prazerosos do que uma semana em Paris. Depende das circunstâncias, da companhia, do estado de espírito, das necessidades e expectativas do momento.

Por isso, vale anotar esta fórmula mágica: ter disposição para abrir o coração a novas emoções, a novas experiências e emoções. Afinal, se for para tudo continuar igual à rotina, é melhor que fiquemos em casa, não é?

Então, um lembrete àqueles que se dizem “amantes de viagens” mas não acham a hora nem o roteiro ideal: não esperem por isso. Esse tal momento ideal, destino ideal ou o que quer que seja ideal nunca chega. E façam o seguinte: fiquem atentos aos sinais, que não se restringem ao que foi dito neste texto. As manifestações são inesgotáveis, individuais e podem ser provocadas, inclusive. É ótimo fabricar os sinais, eventualmente. Ninguém vai perder com isso, só ganhar.

*Tania Moschini é formada em Letras, com habilitação em Língua Portuguesa e Francesa. Aposentada e aficionada por viagens, também se dedica à literatura e agora estreia com a obra E agora, pra onde?.

Série Orquestras Paulistas: Orquestra Comunitária de São José dos Campos (IA–AFAM)

Série Orquestras Paulistas: Orquestra Comunitária de São José dos Campos (IA–AFAM)

Apresentação da orquestra do Instituto Para o Apoio e a Formação Artística Musical, de S...

Universo Animado / Precisamos falar disso II

Universo Animado / Precisamos falar disso II

Universo animado é um espetáculo de dança cheio de cores, movimentos dinâmicos e persona...

Toriba Musical – Itália na Mantiqueira (4)

Toriba Musical – Itália na Mantiqueira (4)

A programação musical do Hotel Toriba, sob a DIREÇÃO ARTÍSTICA DE ANTONIO LUIZ BARKER, é...

Família no Museu: Festa Junina Cultural

Família no Museu: Festa Junina Cultural

No mês de junho acontecem as festividades juninas. Para celebrar esses eventos tão tradi...

Toriba Musical – Canções e Árias de Ópera (4)

Toriba Musical – Canções e Árias de Ópera (4)

A programação musical do Hotel Toriba, sob a DIREÇÃO ARTÍSTICA DE ANTONIO LUIZ BARKER, é...

54º Festival de Inverno – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

54º Festival de Inverno – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo

O 54º Festival de Inverno está chegando! De 29 de junho a 28 de julho, venha viver a mús...